• Imagens
Imagem retirada de https://www.midiamax.com.br/cotidiano/2018/diabetes-se-doenca-nao-for-controlada-pode-levar-a-cegueira/
Imagem retirada de https://www.midiamax.com.br/cotidiano/2018/diabetes-se-doenca-nao-for-controlada-pode-levar-a-cegueira/

De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), mais de 13 milhões de brasileiros têm a doença, que se não controlada, pode resultar em sérias consequências como a retinopatia diabética.

Essa doença é progressiva e afeta os vasos sanguíneos do olho, podendo levar a perda parcial ou total da visão. Segundo o dr. Leandro Cabral Zacharias, oftalmologista pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e diretor da Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo, no Brasil, cerca de 5 milhões de pessoas apresentam alteração no fundo do olho causados por diabetes.

“A retinopatia diabética se inicia com pequenos pontos de hemorragia e alterações discretas nos vasos do fundo do olho. Entretanto, conforme a doença evolui e fica mais grave, pode ocasionar perda da visão por várias causas. As mais comuns são o inchaço do fundo do olho que chamamos de edema macular diabético, sangramentos no gel vítreo e até descolamentos de retina”, informou Zacharias.

Tratando a retinopatia diabética
Conforme o oftalmologista, a primeira medida para o tratamento é manter o diabetes sob controle, assim como o peso, colesterol e a pressão arterial. As terapias indicadas nos casos mais avançados são: fotocoagulação a laser, injeções intraoculares e cirurgias.

“As injeções intraoculares, são realizadas através do branco do olho, com agulha muito fina, e, portanto, com desconforto mínimo. Existem atualmente dois tipos de agentes para essa modalidade terapêutica: os antiangiogênicos e os corticoides. Os corticoides são uma das opções para tratamento do edema macular diabético. Apresentam vantagem de menos injeções necessárias para o controle da doença. Os antiangiogênicos também são efetivos no tratamento do edema macular diabético e podem ajudar a retroceder os vasos anormais em casos de retinopatia proliferativa.”

Ainda segundo Zacharias, mesmo com o avanço da medicina nos últimos anos, muitas pessoas ainda ficam cegas por diabetes no Brasil. “O grande motivo é a falta de conhecimento por parte da população, da necessidade de fazer o exame de fundo de olho anualmente”, ressalta.

Fonte: Midiamax